Museu Antropológico Goiás

Museu Antropológico Goiás

Apresentação

As exposições são os principais veículos de comunicação de um Museu com o público. Para esse fim, o Museu Antropológico possui dois salões, um deles destinado à

exposição de longa duração Lavras e Louvores e o outro para mostras de curta duração ou temporárias. As exposições do Museu Antropológico são abertas ao público de terça a sexta-feira das 9 às 17 horas, com entrada gratuita

Acervo
A existência de um museu implica na existência de um acervo, em torno do qual se estruturam grupos de trabalho, pesquisas, ensino, extensão e muitas outras atividades que o dinamizam. O acervo em si mesmo nada representaria se não pudesse transmitir a idéia de vida que envolve cada peça recolhida, tratada, documentada e pesquisada. A peça museográfica é produto da elaboração humana e, na busca de sua compreensão, resgatam-se traços da nossa história.

Estão sob a guarda do Museu Antropológico da UFG as coleções provenientes de coletas assistemáticas e de pesquisas científicas, realizadas ao longo de mais de 30 anos em áreas de atuação diversas, como Antropologia Social e Cultural, Arqueologia, Etnolingüística, Educação Indígena, Ação Educativa, Museologia, Conservação e outras áreas que surgem com a própria dinâmica das atividades do Museu e do envolvimento com as Unidades Acadêmicas da UFG. O acervo material é composto por objetos etnográficos indígenas e de cultura popular e por objetos arqueológicos.

O Museu Antropológico possui ainda um considerável acervo documental, apresentado em suportes diversos como fotos, vídeos, áudios, imagens digitais, desenhos técnicos, produção cartográfica, livros e outros documentos, que registram as pesquisas e atividades desenvolvidas e/ou subsidiam as ações educativo-culturais e de extensão realizadas pelo Museu. Determinados itens desses acervos são disponibilizados ao público para consulta, como o material bibliográfico e audiovisual, por exemplo.

História

O Museu Antropológico (MA) da Universidade Federal de Goiás (UFG) é uma instituição sem fins lucrativos, aberta ao público, e que se destina à coleta, inventário, documentação, preservação, segurança, exposição e comunicação de seu acervo.

Vinculado à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG), o MA é um órgão suplementar da UFG, e tem em seu caráter dinâmico e pedagógico, suas principais características.

Foi criado por iniciativa de professores do então Departamento de Antropologia e Sociologia (DAS) da UFG, vinculado ao antigo Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL), atual FCHF, a partir da realização de uma pesquisa no Parque Indígena do Xingu. Participaram dessa viagem de estudos os professores Acary de Passos Oliveira, Vivaldo Vieira da Silva, Antônio Theodoro da Silva Neiva, já falecidos, e o Pe. José Pereira de Maria, atualmente professor aposentado pela UFG.

O acervo da primeira coleção etnográfica do Museu decorre dessa viagem. Em relatório de estudos remetido à Profa. Lena Castelo Branco, na ocasião diretora do ICHL, o grupo de professores sugere um plano de pesquisa com o objetivo de estudar as populações do Xingu e criar um museu antropológico na UFG. Esse espaço cultural foi proposto para salvaguardar a cultura material indígena da Região Centro-Oeste do Brasil. Com essa perspectiva, o Museu Antropológico da UFG foi criado em junho de 1969, sendo inaugurado em 5 de setembro de 1970.

Fonte: Museu UFG

Imagem: Museu UFG

Mais Brasil

O Blog Mais Brasil agrega num só lugar tudo o que você precisa saber dos principais destinos do Brasil. Funciona como um guia de passeios para você se divertir e enriquecer culturalmente em suas viagens.

No Comments

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked